Nossa História....Nosso ideal...

QUEM SOMOS

 Poucas pessoas na vida tem a maior da virtudes, que é a perseverança, para conquistar seus sonhos, seus ideais de vida.

A grande maioria das pessoas só sabe reclamar da situação em que vive e culpam o governo, as autoridades constituídas, ou até mesmo a falta de união da comunidade onde é morador por não terem condições mínimas de vida no seu bairro, na sua vila... 

  Claro que cabe aos governantes, especialmente as Prefeituras das Cidades brasileiras, que governem não apenas para a elite mas tambem governem para os menos favorecidos em infra estrutura socio/educativa/cultural.

Porem, se não houver união entre pessoas de um mesmo bairro/região, a espera por ações efetivas das Prefeituras em bairros nas periferias das Cidades, especialmente os mais longiguos bairros, sera uma espera eterna, que só ocorrerá se a grande mídia apontar o problema e em ano eleitoral para servir de gancho de campanha.

Mas é tambem nossa obrigação e direito constitucional como cidadãos, cobrar do poder publico ações efetivas para a melhoria do lugar onde vivemos, afinal pagamos o mesmo peso na carga tributaria que pagam os bairros de elite, fartos em infraestrutura.

A história de fundação de nossa EM CIMA DA HORA, tem muito a ver com o citamos acima, pois foi movidos por um sentimento de que teriam que tomar uma atitude contra a situação em que viviam, amigos e vizinhos de nosso Presidente  e fundador, Jair Santos, tomaram de punho, arregaçaram as mangas e saíram a luta para levar a si mesmo e a comunidade carente do bairro onde residem a esperança de terem no mínimo um futuro melhor.
 
Com a fundação da Coruja do Samba nosso Presidente e  fundador colocou, e  até nos dias atuais, coloca  emprática aquilo que ele diz ser a real incumbência de uma Escola de Samba, ou seja, trabalho social. 
 
Mas nossa historia necessariamente par ser bem contada tem que se iniciar com a vida sambistica de nosso Presidente Jair Santos.
 
Nos idos nos 70, Jair conheceu o mundo do samba. Levado por um dos maiores compositores que o Carnaval de São Paulo já conheceu, Odair Fala Macio, ele conheceu o GRÊMIO RECREATIVO E CULTURAL ESCOLA DE SAMBA MOCIDADE ALEGRE, onde permaneceu durante 23 anos de sua vida.
 
Na tradicional agremiação do Bairro do Limão, em sampa, conhecida como a Morada do Samba, alem de colaborar desde merendeiro (empurrador de alegoria), Diretor de harmonia, comissão de frente e chefe de ala, aprendeu muito com esta agremiação e este aprendizado hoje esta sendo de virtual importância no comando de nossa EM CIMA DA HORA. 
 
Em 1998, não contente com os caminhos que as grandes agremiações sambisticas, salvo raras exceções, tinham em relação a iniciativas sócio culturais a pessoas e famílias carentes, e movido pelo fato que participava ativamente da diretoria da Sociedade amigos de bairro do local onde morava, na qual surgiu naquele tempo a idéia de criar uma Escola de Samba sem pretensões maiores, aproveitando o grupo que desfilava pelo bairro no carnaval como um Bloco de sujos,  Jair assumiu o Projeto de peito aberto, chamou a responsabilidade de fundação desta então despretensiosa agremiação, para si, e num churrasco regado a samba e cerveja, com os amigos e vizinhos  fundou a nossa querida EM CIMA DA HORA. 
 
Durante este churrasco de fundação da entidade, montou-se a primeira Diretoria Executiva, discutiu-se os parágrafos e artigos de nosso Estatuto Social, escolheu-se a Coruja como nosso símbolo máximo e ao chegar no principal, o nome da Escola, começou a discordância geral.  Uns queriam que a Escola se chama-se Imperatriz do Grajaú, outros Unidos do Grajaú e ainda outros nomes surgiram.
 
No calor da discussão, tocou o telefone. Era um velho amigo de nosso Presidente Jair o qual também tinha sido integrante da comissão de frente da MOCIDADE ALEGRE. Jair prontamente o convidou a participar do churrasco de fundação de uma nova agremiação e que estava acontecendo naquele momento.
 
O amigo, do outro lado da linha telefônica, disse:
 
MAS VOCÊ ME CONVIDA AGORA?EM CIMA DA HORA ?
 
Neste exato momento nosso Presidente Jair largou o telefone e chamou a atenção de todos presentes ao churrasco de fundação da  agremiação e falou:
 
PESSOAL...PESSOAL....Já tenho um nome pra nossa Escola.  Será:
 
EM CIMA DA HORA
 
Então, após o registro a nível federal, estadual e municipal nos órgãos  que compete tal atitude, aos 20 dias do mês de Janeiro de 1998 ''nasceu'' o GRÊMIO RECREATIVO  CULTURAL E BENEFICENTE ESCOLA DE SAMBA EM CIMA DA  HORA PAULISTANA, entidade sem fins lucrativos, voltada ao samba e o carnaval, mas não deixando jamais de realizar atividades sociais e culturais a carentes, jovens, adultos, idosos e crianças.
 
Nosso símbolo, a coruja, foi escolhido também por  todos neste churrasco de fundação  após outros símbolos apresentados terem sido recusados.
 
A CORUJA DO SAMBA CHEGOU...

 Poucas pessoas na vida tem a maior da virtudes, que é a perseverança, para conquistar seus sonhos, seus ideais de vida.

A grande maioria das pessoas só sabe reclamar da situação em que vive e culpam o governo, as autoridades constituídas, ou até mesmo a falta de união da comunidade onde é morador por não terem condições mínimas de vida no seu bairro, na sua vila... 

  Claro que cabe aos governantes, especialmente as Prefeituras das Cidades brasileiras, que governem não apenas para a elite mas tambem governem para os menos favorecidos em infra estrutura socio/educativa/cultural.

Porem, se não houver união entre pessoas de um mesmo bairro/região, a espera por ações efetivas das Prefeituras em bairros nas periferias das Cidades, especialmente os mais longiguos bairros, sera uma espera eterna, que só ocorrerá se a grande mídia apontar o problema e em ano eleitoral para servir de gancho de campanha.

Mas é tambem nossa obrigação e direito constitucional como cidadãos, cobrar do poder publico ações efetivas para a melhoria do lugar onde vivemos, afinal pagamos o mesmo peso na carga tributaria que pagam os bairros de elite, fartos em infraestrutura.

A história de fundação de nossa EM CIMA DA HORA, tem muito a ver com o citamos acima, pois foi movidos por um sentimento de que teriam que tomar uma atitude contra a situação em que viviam, amigos e vizinhos de nosso Presidente  e fundador, Jair Santos, tomaram de punho, arregaçaram as mangas e saíram a luta para levar a si mesmo e a comunidade carente do bairro onde residem a esperança de terem no mínimo um futuro melhor.
 
Com a fundação da Coruja do Samba nosso Presidente e  fundador colocou, e  até nos dias atuais, coloca  emprática aquilo que ele diz ser a real incumbência de uma Escola de Samba, ou seja, trabalho social. 
 
Mas nossa historia necessariamente par ser bem contada tem que se iniciar com a vida sambistica de nosso Presidente Jair Santos.
 
Nos idos nos 70, Jair conheceu o mundo do samba. Levado por um dos maiores compositores que o Carnaval de São Paulo já conheceu, Odair Fala Macio, ele conheceu o GRÊMIO RECREATIVO E CULTURAL ESCOLA DE SAMBA MOCIDADE ALEGRE, onde permaneceu durante 23 anos de sua vida.
 
Na tradicional agremiação do Bairro do Limão, em sampa, conhecida como a Morada do Samba, alem de colaborar desde merendeiro (empurrador de alegoria), Diretor de harmonia, comissão de frente e chefe de ala, aprendeu muito com esta agremiação e este aprendizado hoje esta sendo de virtual importância no comando de nossa EM CIMA DA HORA. 
 
Em 1998, não contente com os caminhos que as grandes agremiações sambisticas, salvo raras exceções, tinham em relação a iniciativas sócio culturais a pessoas e famílias carentes, e movido pelo fato que participava ativamente da diretoria da Sociedade amigos de bairro do local onde morava, na qual surgiu naquele tempo a idéia de criar uma Escola de Samba sem pretensões maiores, aproveitando o grupo que desfilava pelo bairro no carnaval como um Bloco de sujos,  Jair assumiu o Projeto de peito aberto, chamou a responsabilidade de fundação desta então despretensiosa agremiação, para si, e num churrasco regado a samba e cerveja, com os amigos e vizinhos  fundou a nossa querida EM CIMA DA HORA. 
 
Durante este churrasco de fundação da entidade, montou-se a primeira Diretoria Executiva, discutiu-se os parágrafos e artigos de nosso Estatuto Social, escolheu-se a Coruja como nosso símbolo máximo e ao chegar no principal, o nome da Escola, começou a discordância geral.  Uns queriam que a Escola se chama-se Imperatriz do Grajaú, outros Unidos do Grajaú e ainda outros nomes surgiram.
 
No calor da discussão, tocou o telefone. Era um velho amigo de nosso Presidente Jair o qual também tinha sido integrante da comissão de frente da MOCIDADE ALEGRE. Jair prontamente o convidou a participar do churrasco de fundação de uma nova agremiação e que estava acontecendo naquele momento.
 
O amigo, do outro lado da linha telefônica, disse:
 
MAS VOCÊ ME CONVIDA AGORA?EM CIMA DA HORA ?
 
Neste exato momento nosso Presidente Jair largou o telefone e chamou a atenção de todos presentes ao churrasco de fundação da  agremiação e falou:
 
PESSOAL...PESSOAL....Já tenho um nome pra nossa Escola.  Será:
 
EM CIMA DA HORA
 
Então, após o registro a nível federal, estadual e municipal nos órgãos  que compete tal atitude, aos 20 dias do mês de Janeiro de 1998 ''nasceu'' o GRÊMIO RECREATIVO  CULTURAL E BENEFICENTE ESCOLA DE SAMBA EM CIMA DA  HORA PAULISTANA, entidade sem fins lucrativos, voltada ao samba e o carnaval, mas não deixando jamais de realizar atividades sociais e culturais a carentes, jovens, adultos, idosos e crianças.
 
Nosso símbolo, a coruja, foi escolhido também por  todos neste churrasco de fundação  após outros símbolos apresentados terem sido recusados.
 
A CORUJA DO SAMBA CHEGOU...